Dec 17, 2017 Last Updated 2:11 PM, Dec 15, 2017

Destaques

Firjan defende votação da refo…

Federação reunirá os prefeitos fluminenses e parlamentares para alertar sobre o ...

Itaguaí promove campanha de im…

Equipe de imunização de Itaguaí recomenda regularização do cartão de vacina de c...

Prefeitura repara tubulação de…

MELHORIA- Em mais uma mobilização que dá sequência aos esforços da Prefeitura de...

Uma designer de fakes, mas bem verdadeira

O bolo que deu grande empurrão na produção da designer: ‘Alice no país das Maravilhas’ O bolo que deu grande empurrão na produção da designer: ‘Alice no país das Maravilhas’ FOTO DIVULGAÇÃO
Publicado em Cotidiano
Ler 1789 vezes
Avalie este item
(1 Votar)

Mayara Mendes faz bolos fakes e  já exporta seus produtos para fora do estado e do país

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

ARTE Não enche a barriga, mas enche os olhos. Pura beleza e delicadeza. Assim são os bolos fakes produzidos pela designer Mayara Mendes, de 24 anos, moradora de Itaguaí. Trabalhando há quase 10 anos com os bolos que enfeitam festas com os mais variados temas. Os bolos e lembrancinhas da artista, que não são de comer já até alcançaram outros continentes, como a Europa e a Ásia.

“Eu já mandei meus produtos para Holanda, Japão... Nunca mandei bolo, porque tenho medo de não chegar bem, pode quebrar, chegar danificado, mas eu mando lembrancinhas. Bolo eu já mandei para São Paulo”, afirma a jovem artista que começou nesse ofício como algo para desviar sua atenção de um acontecimento triste em sua vida: a morte do pai.

“Tudo começou quando eu tinha 15 anos e meu pai faleceu. Minha mãe quis ocupar minha mente para eu não ficar pensando naquilo. Sempre gostei de trabalhos manuais, mas bolo ainda não fazia. Comecei mesmo foi com lembrancinhas. Só depois eu comecei a fazer os bolos fekes. Antes fazia só para o pessoal de casa. Somente aos 18 anos de idade, eu comecei a  vender. Eu comecei a fazer para festas, para os decoradores da região e hoje em dia, graças a Deus, a gente tem enviado até para outros lugares”, conta.

Quase dez anos depois, as obras de arte produzidas por Mayara Mendes caíram no gosto dos entendidos em festas e nos que vão às festas. Ela produz de seis a dez bolos por semana, fora as lembrancinhas. Os temas são os amis variados, mas de acordo coma designer, os que têm mais saída são os com temas infantis com personagens da Disney, como Mickey e Minnie. No entanto, ela conta que há muitos pedidos para bolos de casamento. Com modelos que podem ser comprados ou alugados pelo cliente.

O DRIBLE

Assim como os temas, os preços também são variados. “Eu costumo fazer de três andares, que chegam a R$ 180, mas tem modelos que são maiores para casamentos de seis, sete andares e podem sair a R$ 300, R$ 400”, revela Mayara. A Designer ainda conta que, embora seus negócios estejam indo muito bem, é preciso driblar a crise para mantê-lo. Para tal, ela que já teve uma loja, mas precisou fechar, compra seu material uma única vez no mês, em grande quantidade, para conseguir descontos e, assim, manter um preço que o cliente possa pagar. “Eu procuro manter um preço bom, não aumentar muito, porque está ruim para todo mundo”.

Mayara diz que nunca fez cursos para aprender a fazer os bolos, trabalha sozinha. A mãozinha da família só entra quando há muita encomenda e só para colar um detalhe aqui, outro ali. A confecção do geral fica por conta dela mesma, que utiliza materiais como isopor, massa para biscuit e tinta, que ela mesma gosta de misturar para dar a tonalidade que deseja.

Ao longo de quase dez anos de trabalho, a jovem designer itaguaiense já fez muitos bolos de beleza e graça, mas para ela há um especial. Um bolo que marcou a sua carreira e a fez chegar ao patamar em que ela está hoje. “O bolo que eu senti que foi um lançamento e que mudou tudo foi ‘Alice no país das Maravilhas’. Foi o modelo mais diferente que eu tinha feito até então e que foi um marco, porque foi o boom. Isso tem cinco anos. Depois desse bolo, eu comecei a produzir mais, porque antes as pessoas não aceitavam muito. Até hoje tem gente que não aceita os bolos fakes, mas a cada dia que passa mais pessoas estão aderindo”, afirma Mayara.

A designer de bolo fake não sabe fazer bolos comestíveis. Conta que não gosta muito da parte da cozinha e que seus bolos sairiam solados, mas se a receita do bolo envolver isopor, biscuit e tinta, é com ela mesma. Aí, não tem para ninguém. As encomendas podem ser feitas por meio da internet: @ateliemaybiscuit. Esses bolos voam alto e ajudam a realizar o sonho de muita gente, seja em Itaguaí ou longe daqui.

Mayara Mendes conta que chega a fazer dez bolos fakes por semana (FOTO CLEITON BEZERRA)