Oct 22, 2017 Last Updated 3:21 PM, Oct 20, 2017

ICN e Sebrae fortalecem empreendedores de Itaguaí

Empresários que aderiram ao programa (sentados) e representantes da ICN e do Sebrae (em pé) posaram após o evento Empresários que aderiram ao programa (sentados) e representantes da ICN e do Sebrae (em pé) posaram após o evento FOTOS WELINGTON CAMPOS
Publicado em Cotidiano
Ler 1489 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Programa vai melhora o desempenho de micro e pequena empresa do encadeamento produtivo da ICN

DESENVOLVIMENTO Com o objetivo de melhorar a competitividade e produtividade do micro e pequenos empresários, a Itaguaí Construções Navais (ICN) e o Sebrae realizaram na manhã de quinta-feira (13), no auditório do IT Grande  Hotel  Itaguaí, o lançamento do Programa de Encadeamento Produtivo – ELO. Desenvolvido pela ICN em parceria com o Sebrae, o programa tem como objetivo melhorar o desempenho da empresa a partir da adoção de práticas eficazes de gestão e adequação aos requisitos de fornecimento para o setor.

Dentro do programa, 20 empresas serão selecionados para participar de atividades de consultoria, oficinas de aprendizado, workshops temáticos, painéis de debate, entre outras atividades ligadas para o aprimoramento do negócio, além da implementação de ferramentas de gestão e soluções integradas para otimização de processos produtivos e aumento da competitividade.

Abrindo o evento, o diretor de administração da ICN, Carlos Alberto de Oliveira, fez um breve resumo sobre como o programa foi idealizado há dois anos, deixando claro que o mais importante é o desenvolvimento das empresas envolvidas, destacando que o acompanhamento do Sebrae durante os 15 meses do programa será o grande diferencial para o crescimento de todos. “Logo que cheguei à ICN em 2014, constatei que comprávamos materiais em outros estados, como uniformes, alimentos, peças, entre outros componentes, e queria entender porque tais materiais não eram comprados em Itaguaí. Na época, os fornecedores das outras cidades conseguiam ter preço e produtividade melhores que os empresários locais, inviabilizando a compra em Itaguaí.”

DESAFIO

A partir daquele momento, Carlos Alberto lançou o desafio para sua equipe estudar uma maneira de aproveitar o máximo do potencial produtivo de Itaguaí, desenvolvendo não só a cadeia produtiva, mas também a economia local.

Outra mudança implementada em sua gestão foi a priorização da contratação da mão de obra local, hoje, equivalente a 50% do efetivo da empresa.

Ao encerrar sua participação, o diretor da ICN se mostrou muito otimista com o sucesso do Programa Elo, ratificando que os maiores beneficiários são os empreendedores locais e, consequentemente, a Cidade de Itaguaí.

Na sequência do evento o gerente administrativo da ICN, Francisco Lobo, fez uma breve apresentação sobre a empresa, exaltando o seu potencial de consumo em diversos segmentos, tanto para as áreas administrativas, quanto para as industriais.

CONEXÃO COM EMPREENDEDORES

Já segundo o gerente do Sebrae, Renato Regazzi,  o programa de encadeamento produtivo é fantástico porque ele junta as grande empresa com todo o seu potencial de compra com a visão da região da qual ela faz parte. “Isso faz com que a empresa tenha uma conexão direta com o empreendedor local, além de preparar esses empresários em parceria com o Sebrae para que atenda os requesitos dessa empresa. Porque às vezes a pequena empresa não fornece para a grande, produtos ou  serviços, porque não tem os requisitos exigidos”, explicou.

Para Renato Regazzi, esses requisitos podem ser atendidos com um bom programa de gestão, onde a pequena empresa vai conseguir rever seus custos, vai melhorar o prazo de atendimento, a qualidade do produto e também vai ser vista pelo mercado. “Não adianta a gente ter todas as qualidades e ninguém saber que a gente existe. Então, esse programa aproxima as pequenas empresas das grandes empresas e gera um dinamismo econômico no município gerando, consequentemente, o desenvolvimento de emprego e renda para a cidade”, ressaltou o gerente do Sebrae.

ADESÃO DAS EMPRESAS

Finalizando o encontro Juliana Lima, da gerência de grandes negócios do Sebrae, detalhou o programa e entregou aos empresários o formulário para adesão ao Programa Elo, já tendo as empresas MC Rental, Gráfica e Editora Makino, Jornal Atual, Idiana de Itaguaí Distribuidora, Eletromáquinas, Conserv Engenharia e Serviços e a Cooperativa de Agricultores Familiares de Itaguaí (Coopafit), assegurando sua participação nesta iniciativa única na região.

RECONHECIMENTO

O proprietário da Eletromáquinas, Aloísio Meneses, que já participou do projeto em 2013, destacou a importância do programa para sua empresa.  “Estou aderindo o programa para fazer uma reciclagem porque achei que foi muito bom e quero convidar algumas empresas que são parceiros nossos para aderirem também. Porque, quando procuramos os nossos clientes, que são as grandes empresas, às vezes, não estamos qualificados para atendê-los. Então, quando essas mesmas empresas sabem que estamos enquadrados nesse processo eles depositam essa confiança na gente”.  

 

O presidente da Coopafit, Mário Grijó, disse que o programa é muito importante para o desenvolvimento do município. “Na nossa experiência nós só temos a somar, porque adquirimos muita coisa boa por meio da Marinha do Brasil, da ICN e agora também pela Nuclep, além de outras empresas estão se tornando parceiras nossas. Com isso, estamos agregando valores e lavando aos agricultores uma experiência que eles não tinham sobre os seus próprios direitos. Agora, com o Sebrae junto, com certeza vai mudar para melhor”, declarou Mário Grijó.   

O diretor do Atual, Marcelo Godinho, o gerente do Sebrae, Renato Regazzi e o diretor da ICN Carlos Alberto de Oliveira