Oct 22, 2017 Last Updated 3:21 PM, Oct 20, 2017

Bairro Mangueira cai no esquecimento

 Matagal invade a Rua Tabajara, às margens da Rio-Santos Matagal invade a Rua Tabajara, às margens da Rio-Santos FOTO DILCEIA NORBERTO
Publicado em Cotidiano
Ler 2182 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Marcado sob

Moradores reclamam da falta de conservação, que deixa o local encoberto pelo mato, e das enchentes, que atrapalham a vida de quem vive na localidade.

Dilceia Norberto
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

QUEM SE LEMBRA? Moradores do bairro Mangueira sofrem com falta de conservação na localidade e descaso de órgãos como o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Às margens da Rodovia Rio-Santos, a localidade sofreu, há pouco tempo, com um acidente em que um caminhão derrubou a passarela que cruzava a rodovia. A passarela levou tempo, mas foi reposta. Mas o matagal, os alagamentos e o esgoto continuam um problema.

Pessoas que vivem na localidade já pediram ajuda às autoridades, mas nada foi feito. “Quando a passarela caiu, quebrou o meio-fio e agora quando chove, a água que caía sobre a Rio-Santos, vem toda para esse trecho da Rua Tabajara. Cai uma enxurrada e está causando problemas principalmente para o morador da casa de número 6. É muita água”, disse o comerciante João Damásio, que vive no bairro há cerca de 20 anos. Ele contou também que quando os técnicos do Dnit foram liberar a passarela, os moradores pediram para colocar o meio-fio, mas disseram que aquilo não era com eles.

A Rua Tabajara também sofre com a falta de conservação. O mato toma conta do local e pode representar riscos. Pois bandidos podem se aproveitar e cometer assaltos e até violência sexual. “É muito perigoso passar por aqui. Eu tenho uma filha e tenho medo. Se uma mulher passa cedo para ir trabalhar, alguém pode fazer uma maldade e ninguém vai ver”, afirma seu João.

No bairro Não recolhem o lixo. A ponte da Travessa Tabajara esta com um afundamento e fica um monte de lixo na beira do valão. “Quando chove alaga tudo. Isso aqui só não está pior porque um morador usa uma retroescavadeira. Temos medo de doenças que essa água suja pode transmitir”, Lamenta o morador.

A praça do bairro está tão abandonada quanto o resto. Há estrutura de um balanço, sem o brinquedo. O campo de futebol não tem qualquer estrutura e os bancos foram deslocados, dando a impressão de que passou por ali um tsunami. “Isso era uma pracinha, mas abandonaram”, afirma João Damásio. Mangueira vive o abandono.

 

Matagal invade a Rua Tabajara, às margens da Rio-Santos

 

  Praça do bairro Mangueira totalmente abandonada

 

Valão cheio de mato e lixo. Foco de mosquitos e alagamentos

 

Placa que sinaliza para que o pedestre utilize a passarela recém-liberada totalmente coberta pelo mato

 

Trecho do meio-fio destruído pela queda da passarela. Com a chuva, enxurrada de água invade as casas 

Mais nesta categoria: A hora da reconstrução »