May 26, 2017 Last Updated 7:40 PM, May 26, 2017

Pais entram com ações por vagas em creches

Crianças brincam em creche de Itaguaí. Defensoria Pública afirma que aumentou procura por vagas Crianças brincam em creche de Itaguaí. Defensoria Pública afirma que aumentou procura por vagas FOTO ARQUIVO ATUAL
Publicado em Cotidiano
Ler 1438 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Marcado sob

Defensoria Pública do estado confirma o aumento de procura por vagas

NÃO HÁ VAGAS A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) atendeu, nos primeiros meses do ano, a quase o dobro de pessoas à procura de vaga em creche e pré-escola do que em relação ao mesmo período do ano passado. Só na região da grande Jacarepaguá e da Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio, deram entrada nos Núcleos de Primeiro Atendimento 340 casos do tipo em janeiro e 393 em fevereiro de 2017. Em 2016, foram cerca de 136 casos em janeiro e 263 em fevereiro.

O expressivo aumento de pedidos de vaga em creche justifica a propositura das muitas ações individuais pela Defensoria Pública, que ajuizou Ação Civil Pública, por meio da Coordenadoria de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDEDICA), pedindo a ampliação da oferta de vagas.

“As regiões de Jacarepaguá e da Cidade de Deus tiveram, nos últimos anos, crescimento populacional incompatível com os mecanismos urbanos existentes e pouco se tem feito, até a presente data, pela educação e pela saúde pública. Entendo que seja necessária a fiscalização das creches e das escolas sobre a quantidade de vagas existentes e a forma de sua disponibilização, as condições estruturais e de pessoal, o material didático e de higiene, a alimentação e tudo o que a lei dispõe para a proteção e os cuidados adequados à primeira infância para que, enfim, a poesia da lei saia do papel e permeie a vida dos cidadãos”, destaca a coordenadora dos Núcleos de Primeiro Atendimento da DPRJ, Fátima Saraiva.

O aumento registrado em Jacarepaguá e na Cidade de Deus, regiões com cerca de 650 mil habitantes, também aconteceu, na mesma proporção e no mesmo período de tempo, nos núcleos de primeiro atendimento de bairros como Santa Cruz, Bangu e outros.

Em Itaguaí, com os servidores da educação em greve, muitas unidades não estão funcionando e quando funcionam, o horário é reduzido. A prefeitura afirmou que  a contratação temporária de pessoal – cancelada pela justiça – serviria para fazer seis creches voltar a funcionar. As unidades estão fechadas.

Quem não conseguiu fazer a matrícula das crianças em creche e escola deverá procurar a Defensoria Pública mais próxima de sua residência, agendando o atendimento pelo telefone 129 ou pelo site da instituição (www.defensoria.rj.def.br). É importante levar os documentos indicados pelo atendente no agendamento do atendimento.