Dec 16, 2017 Last Updated 2:11 PM, Dec 15, 2017

Destaques

Firjan defende votação da refo…

Federação reunirá os prefeitos fluminenses e parlamentares para alertar sobre o ...

Itaguaí promove campanha de im…

Equipe de imunização de Itaguaí recomenda regularização do cartão de vacina de c...

Prefeitura repara tubulação de…

MELHORIA- Em mais uma mobilização que dá sequência aos esforços da Prefeitura de...

Grupo teatral traz a arte da encenação para Itaguaí

Integrantes da Turma em Cena e a psicóloga Mariana Castro realizam, atualmente, o espetáculo Palhaço Didi e Gorori Integrantes da Turma em Cena e a psicóloga Mariana Castro realizam, atualmente, o espetáculo Palhaço Didi e Gorori FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Cotidiano
Ler 1934 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Turma em Cena é um dos grupos artísticos da região, que leva cultura e reflexão através da arte

 

CLEITON BEZERRA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

ARTES CÊNICAS O teatro é um das mais antigas e uma das mais difundidas artes no mundo. Hoje (21) é o Dia Universal do Teatro e, na cidade de Itaguaí e região, um dos grupos teatrais que leva à população um pouco da arte de encenar é o Turma em Cena. O grupo possui 17 anos de história e realiza um trabalho voltado para a questão sociocultural. É o que explica o coordenador e integrante do grupo, Adriano Evangelista. “Além dos espetáculos é importante que a gente discuta com a sociedade a questão dos valores, a gente busca fazer um pouco disso também”, destacou o coordenador.

Adriano Evangelista, que mora em Itaguaí há 10 anos, conta que o desejo de seguir o caminho das artes começou por volta de 19, 20 anos, quando ele fez as suas primeiras apresentações “Eu comecei a fazer algumas peças, fiz Paixão de Cristo, fiz alguns movimentos de rua. Depois eu fui para a escola de encenação e comecei a fazer muito infantil”, falou o coordenador, que foi membro do Conselho Tutelar na cidade.

PARCERIA

O grupo hoje é composto pelo coordenador Adriano Evangelista e pelos artistas Rafael Otoni e Karina Kimie, além da psicóloga Mariana Castro. “Quando eu comecei o trabalho no Estúdio Despertando, voltando a morar aqui na cidade, eu e o Adriano começamos a dialogar e de lá pra cá a gente vem construindo uma relação dentro da nossa identidade. Isso tem quase dois anos. E recentemente o Adriano me chamou para estar junto trabalhando o processo criativo”, contou Mariana.

Ela disse, ainda, como começou a se envolver com esse tema da arte e psicanálise. “À medida que eu fui crescendo, a arte sempre esteve presente na construção da minha subjetividade, era um momento que eu me sentia mais livre. Depois fui fazer faculdade de Psicologia, durante esse período aprendi a trabalhar com artesanato, filtro dos sonhos e acabei tendo um grupo de pessoas no qual eu vi o quanto a arte transformou a vida delas. A arte transforma. E comecei a pesquisar sobre psicanálise e essa relação”, destacou a psicóloga Mariana.

RELAÇÃO COM A ARTE

O artista e integrante do grupo, Rafael Otoni, contou como começou o seu envolvimento com as artes. “A arte entrou na minha vida através da dança de rua, hip hop. No meio do hip hop fui me envolvendo com o teatro, passei os anos realizando espetáculos, aqui em Itaguaí. Depois conheci o Adriano, que foi um dos meus mestres, é o meu mestre, que me ensinou também a arte da palhaçaria”, disse Rafael, que tem uma microempresa de animação de festas.

Já a artista e membro do grupo, Karina Kimie, falou sobre o papel da arte na vida das pessoas, principalmente na de adolescentes e crianças. “Eu já trabalhei como professora e realizando os trabalhos com as crianças comecei a perceber que a arte é uma forma de libertar também, olhar com mais sensibilidade. Faz com que as pessoas se tornem seres humanos menos egoístas”, ressaltou Karina, que é funcionária pública no município e ex-aluna de Belas Artes da UFRuralRJ.

Segundo Adriano, a Turma em Cena está realizando, atualmente, o espetáculo Didi e Gorori; uma oficina de circo permanente em um shopping da região e um evento chamado Café com Arte na Associação Comercial da cidade, no qual é promovido um bate papo sobre cultura e outros assuntos. Ainda de acordo com ele, a ideia é que o evento seja realizado mensalmente. “A gente precisa trabalhar mais afeto, mais alegria, mais amor, as pessoas estão perdendo um pouco isso”, finalizou o coordenador.

 

 

Última modificação em Terça, 21 Março 2017 15:23