Mar 27, 2017 Last Updated 2:21 PM, Mar 24, 2017

Manoella Aparecida: Fé e um sonho de campeã

Publicado em Cotidiano
Ler 1307 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Atleta da Ginastica Aeróbica precisa de ajuda para cobrir custos de viagens internacionais

Dilceia Norberto
dilceia.norberto@jornalatual

FORÇA Pequena na estatura, mas grande na garra e nas conquistas. Manoella Aparecida é uma linda garotinha de 11 anos de idade. Moradora de Itaguaí há um ano, ela é uma das estrelas da Seleção Brasileira de Ginástica Aeróbica. Mas as vitórias conquistadas numa carreira que começou num projeto social, no ano de 2011, não facilitam as coisas. Prestes a participar de uma nova competição no dia 22 de maio, em Portugal, Manoella e a mãe, a fisioterapeuta Danielle Aparecida, deram início a uma via crucis para conseguir arrecadar fundos que permitam a participam da atleta em competições internacionais. 

Manu, como é carinhosamente chamada, começou num projeto social para alunos de escolas públicas, resultado da parceria entre a academia Body Tech e a ex-técnica da seleção brasileira de Ginástica Artística, Geogerte Vidor. Ela ficou nesse projeto de 2011 a 2015 e foi campeã estadual. Quando o projeto acabou, a Manoella se sentiu muito triste e a treinadora falou que ela tinha muito talento e que não era porque o projeto tinha acabado que o talento da Manu tinha que se perder. “Ela falou com o treinador da seleção brasileira de Ginástica Aeróbica, o Luiz Ramiro Lima, que marcou um teste para ela e ela foi chamada para treinar na Seleção”, conta a mãe de Manu.

A mudança de modalidade não afetou o talento da menina. No primeiro ano, Manoella já foi vice-campeã sulamericana e em seguida campeã brasileira. O desempenho dela foi muito bom em todas as competições do ano. Mas para continuar nesse percurso, os gastos são altos. “Ela precisa continuar representando o Brasil lá fora. São muitas competições este ano. Começa com o campeonato de Portugal que já emenda com outro em Londres. No dia 31 de julho, temos que estar no Arizona, Estados Unidos, também representando o Brasil. E aí, tem de novo o Sulamericano e o Panamericano em outros países e o custo disso é muito alto”, enumera Danielle.

SONHO

A Manoella Aparecida é uma atleta federada, mas isso não envolve patrocínio. Os atletas dessa modalidade só têm direito à bolsa atleta a partir dos 14 anos, o que não cobre os custos de viagens. “A gente precisa continuar nesse caminho. A ginástica aeróbica não é uma modalidade olímpica. A Manu se apresentou na olimpíada, na Fig Gala. Essa modalidade tem tudo para se tornar olímpica em 2024, e a Manu, participando de todas as competições, continuando firme nos rankings, tem muita chance de chegar lá. O sonho é esse”, conta a mãe coruja.

Sonho compartilhado entre os amigos e principalmente na família. Moanoella é a caçula de três entre os irmãos Mariana, de 15 anos, e Marcos de 18. O padrasto também embarca no sonho da pequena atleta, que acaba sendo o de todos. “Meu sonho é ser campeã mundial e olímpica. Eu gostei muito de ter mudado, porque eu gostava muito da artística, mas amo demais a Ginastica Aeróbica, que tem mais dança”, conta Moanoella.

Gosto muito da Marcela Lopes e da Luamar Martin

OS GASTOS

A Seleção Brasileira treina no Recreio dos Bandeirantes, no Rio. Quando está próximo de competições, Manoella treina todos os dias. Por enquanto ela está treinando quatro vezes por semana. Em geral, a rotina de treinos é quatro horas por dia. O gasto com essa rotina é bem elevado.

“Hoje eu tenho feito rifas, porque não tenho mais condições de fazer empréstimos. Eu esgotei essa possibilidade com as competições do ano passado. Estamos fazendo rifas e vendendo para os amigos. Fazemos campanhas na internet, divulgando os campeonatos e começamos a ir no comércio de Itaguaí. Fomos à associação comercial e recebemos muita atenção. Com a iniciativa dela, que tem o sonho de falar inglês, fomos a um curso de inglês e ela conseguiu uma bolsa e ela está muito feliz”, revela Danielle.

As viagens internacionais são as mais dispendiosas. Só para a Manoella ir sozinha para Portugal, o custo ficou R$ 4,4 mil. Para ir para Londres, a Confederação Brasileira ainda não mandou os custos. Estamos fazendo estimativas. Para ir para o Arizona, fica por volta de R$ 5,5 mil. Isso para ela ir sozinha. “Não sei se vou poder contribuir com a seleção. A gente quer muito dar continuidade a esse trabalho, mas não sabemos. Esse ano, são cinco viagens internacionais. E ainda tem o campeonato brasileiro, que a família torce para que seja no Rio de Janeiro, para que possam ‘respirar’ um pouquinho. “Se Deus quiser a gente vai conseguir, né mãe!”, disse Manu, cheia de fé e persistência.

Para quem quiser apoiar a atleta Moanoella Aparecida, pode entrar nas redes sociais dela: Instagram @ginastamanoellaaparecida e no Facebook: Ginasta Manoella Aparecida

Vai Manu!