Apr 25, 2017 Last Updated 3:00 AM, Apr 20, 2017

Universitários voltam às aulas e indefinição sobre o transporte continua

Lei determina a utilização da frota escolar da rede municipal de ensino, que fica ociosa no período noturno Lei determina a utilização da frota escolar da rede municipal de ensino, que fica ociosa no período noturno FOTO DIVULGAÇÃO
Publicado em Cotidiano
Ler 2057 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Marcado sob

Lei aprovada na Câmara, que regulamenta transporte gratuito aos alunos de Itaguaí, ainda não entrou em vigor

 

CLEITON BEZERRA

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

TRANSPORTE UNIVERSITÁRIO Com o fim das festas de carnaval as atividades nos municípios retornaram. Em Itaguaí, esse é um período de preocupação para os alunos universitários. As aulas começam hoje (6), em grande parte das universidades dos municípios limítrofes a Itaguaí, porém a indefinição em relação ao transporte universitário gratuito oferecido pela Prefeitura aos alunos da cidade continua.

A lei nº 3.480/2017, de autoria do vereador Waldemar Ávila (PHS), foi aprovada durante a sessão ordinário do dia 21 de fevereiro. O documento determina transporte gratuito aos estudantes universitários e a utilização da frota escolar da rede municipal de ensino, que fica ociosa no período noturno. Porém, a nova lei ainda está sendo analisada pelo Prefeito Carlo Busatto Junior (PMDB) para sanção ou veto.

“Acredito que ele vai sancionar a lei, haja vista a necessidade do ônibus universitário para, aproximadamente, mil estudantes itaguaienses”, ressalta o vereador Waldemar Ávila (PHS).

A lei foi encaminhada para a Prefeitura de Itaguaí no dia 24 de fevereiro e como o prazo legal para sanção ou veto do prefeito é de quinze dias úteis, o limite da decisão ficou para 24 de março, devido ao feriado de carnaval e aos pontos facultativos na cidade.

Caso seja sancionada, a lei retorna para a Câmara, é publicada e já entra em vigor. Se for vetada, ela será encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) na Câmara para análise dos motivos do veto. Abre-se então, a possibilidade de levar a situação ao Plenário da Câmara e votar a derrubada do veto. 

“Eu faço um apelo ao Prefeito, que antecipe esse fornecimento antes de ter a lei publicada. As aulas já retornaram e os universitários de Itaguaí precisam desse serviço. Existe uma necessidade imediata de atendimento”, finaliza o vereador.