Oct 24, 2017 Last Updated 2:00 AM, Oct 23, 2017

Moradores da Rua Pernambuco no atoleiro e no esgoto

A Rua Pernambuco, quando não chove, é tomada pela poeira. Moradores pedem asfalto A Rua Pernambuco, quando não chove, é tomada pela poeira. Moradores pedem asfalto FOTO DO LEITOR
Publicado em Video
Ler 6588 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Marcado sob

Falta de asfalto e saneamento básico prejudica munícipes que vivem em rua do bairro Estrela do Céu

Dicleia Norberto
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

LAMAÇAL No meio do caminho havia muito buraco, lama e esgoto. Essa é a realidade dos moradores da Rua Pernambuco, no bairro Estrela do Céu. Uma via em que o munícipe se encontra muitas vezes num verdadeiro atoleiro. As dificuldades são antigas e quem vive no local afirma que já tentou ajuda das autoridades competentes, mas até agora não obteve respostas.

Para a moradora Kelly Lisboa, que vive no local há dois anos, o problema só tem aumentado e é preciso que as autoridades tomem providências, porque quando chove todos ficam ilhados. “Só eu lá, já luto com essa rua há pelo menos dois anos. Quando chove, ficamos com barro no meio da canela. Um lado da rua é asfaltado. O outro não. Já pedi à prefeitura, já chorei, já implorei, já fui lá com o pé cheio de lama, mas nenhuma providência foi tomada”, lamenta Kelly.

Ela ainda afirma que chegou à rua há dois anos, mas outros moradores já sofrem há mais tempo, não apenas com o lamaçal, mas também com a falta de saneamento básico. “Não tem saneamento básico. Não tem esgoto. Alguns moradores fizeram fossas no próprio quintal. Outros, que é o meu caso, não tiveram como fazer no próprio quintal, porque não temos água e tivemos que furar poços artesianos. Se você faz um poço artesiano, não tem como colocar uma fossa do lado”, explica Kelly Lisboa.

SANEAMENTO

Ela e muitos outros moradores colocaram suas fossas no local onde deveria haver uma calçada. No entanto, como não há saneamento básico é necessário que a prefeitura esgote tais fossas. Mas o trabalho não é feito com a frequência necessária. “A prefeitura só esgota a fossa se nós implorarmos, porque se não, não esgotam de jeito nenhum”. Conclusão: as fossas vivem transbordando e muitas vezes, mesmo que não chova, a rua fica encharcada com o esgoto das casas. Quanto ao mal cheiro, os moradores já não suportam. E o atoleiro só cresce.

“Uma vez eu fiz uma brincadeira: eu disse que queria que o prefeito fosse lá num dia de chuva e se ele conseguisse passar e não atolasse na frente da minha casa, ele não precisaria fazer qualquer coisa”, conta a moradora Kelly, que fala que não é comum os carros atolarem. Além disso, há dificuldades em casos de socorro. “Eu tenho um problema de saúde. Meu marido teve que sair comigo na madrugada e era uma época de chuva, estava escorregando. Não tinha como o carro subir a ladeira, não tinha como passar. Eu fiquei sem socorro, porque a ambulância não descia. Muita gente não vai lá, porque dizem que é uma área de risco, mas é ótimo de morar. O problema, no momento, é o asfalto que ninguém coloca”, diz.

PREFEITURA

Para amenizar a situação. Como muitos moradores estão fazendo obras em suas casas, o entulho é depositado na rua para que consigam andar, mas esperam mesmo é uma resposta das autoridades. Por meio de sua assessoria de imprensa, a prefeitura informou que fará uma avaliação do local. “A Secretaria Municipal de Obras informa que enviará, ainda esta semana, técnicos à Rua Pernambuco, no bairro Estrela do Céu, para uma avaliação do problema”, informa nota. A população deve ficar de olho.

 

 

Lancha pega fogo e afunda no mar de Angra dos Reis
Última modificação em Quinta, 02 Março 2017 16:15