Loading...
Aug 17, 2018 Last Updated 2:58 PM, Aug 17, 2018

Universidade Rural inicia levantamento para o projeto Baixada Verde

ÁREA VERDE: a Reserva Biológica Federal do Tinguá abrange seis cidades, mas a maior parte Fica  no município de Nova Iguaçu ÁREA VERDE: a Reserva Biológica Federal do Tinguá abrange seis cidades, mas a maior parte Fica  no município de Nova Iguaçu FOTO REPRODUÇÃO
Publicado em Cotidiano
Ler 573 vezes
Avalie este item
(0 votos)

MAPEAMENTO Alunos do curso de Bacharelado em Turismo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) estão envolvidos num projeto fundamental para a abertura de portas no setor de turismo para as cidades que integram a chamada Baixada Verde, denominação criada pela Secretaria de Estado de Turismo do Rio de Janeiro (Setur-RJ) para identificar cidades da Baixada Fluminense que possuem extensas áreas naturais preservadas e onde se podem encontrar parques, reservas ambientais ou estações ecológicas que apresentam forte potencial turístico.

O levantamento a cargo dos universitários da UFRRJ vai definir quais atrações culturais e turísticas entrarão na rota do Baixada Verde. Os locais mapeados serão incluídos nos guias turísticos oficiais do estado do Rio. “Temos dados de Seropédica e Nova Iguaçu que precisam ser atualizados. Mas todos os dez municípios que integram o Baixada Verde serão visitados, dentro do projeto Observatório do Turismo, uma das ações do programa”, explica a doutora Tereza Cristina Mendonça, professora de Teoria Geral do Turismo da UFRRJ.

O plano estratégico de desenvolvimento do turismo sustentável na Baixada Verde está sendo desenvolvido nos municípios de Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados, São João de Meriti e Seropédica. Juntos, esses municípios representam um terço da área verde da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Depois de pronto, o mapeamento dos potenciais turísticos da região será incluído nos guias turísticos oficiais do estado do Rio, como materiais impressos e digitais. O inventário também deverá ser disponibilizado na internet, trazendo mais visibilidade e notoriedade ao turismo local.  

Segundo o secretário de Turismo do Estado do Rio, Nilo Sergio Felix, a denominação Baixada Verde vai contribuir para impulsionar o turismo na região, uma vez que entregará nova conotação aos municípios sob sua denominação. “Quando se fala de Baixada Fluminense, a expressão traz logo todo um estigma, um ranço muito forte. Baixada Verde nos remete à natureza, ao ecoturismo, cria uma visão positiva”, opina Felix, acrescentando que um dos atrativos da Baixada Fluminense é que a região fica a poucos quilômetros da cidade do Rio, porta de entrada dos turistas brasileiros e estrangeiros, facilitando o acesso dos visitantes.