Loading...
May 22, 2018 Last Updated 1:15 PM, May 22, 2018

Orquestra Jovem de Itaguaí celebra um ano com presentes

Orquestra Jovem de Itaguaí convida professora Keila Zuliani para tocar piano doado ao projeto Orquestra Jovem de Itaguaí convida professora Keila Zuliani para tocar piano doado ao projeto FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Cotidiano
Ler 1129 vezes
Avalie este item
(6 votos)

MÚSICA – Em seu mês de aniversário a Orquestra Jovem de Itaguaí (Orji) tem muito que comemorar. É verdade que a Orji só tem um ano - completos no dia 15 - mas esses jovens, liderados pelo professor Adriano Souza já deram voos altos. Por meio da música o grupo leva o nome da cidade de forma positiva por onde passa. Ao som do violino, juntos, eles entoam o melhor desta terra. Não é a toa que eles chamaram atenção da reportagem da Rede Globo e foram parar nas páginas de um livro. Isso mesmo. A Orji ganhou um capítulo no livro “Fazer o bem, pra quem?", do escritor Marcos Ribeiro.

AMPLIANDO A ORJI

Além do violino, os alunos da Orji agora também terão aulas de canto, acompanhados ao som do piano e. A orquestra ganhou uma quantia em dinheiro para comprar o primeiro piano, de uma doadora de São Paulo. Mas, como o valor não é suficiente, eles farão um show no Teatro Municipal de Itaguaí, no dia 5 de fevereiro, para arrecadar o restante da quantia.

FESTA PARA CHEGADA DO PIANO

Para comemorar a chegada do primeiro piano, na quinta-feira (25), o professor violinista Adriano reuniu dez alunos na sede do projeto, na Catedral São Francisco Xavier para fazerem o que eles mais gostam: tocar violino. Eles contaram com uma convidada especial para tocar o piano, a professora Keila Zuliani de Carvalho, dona da Escola de Música Dó Ré Mi, e um dos nomes mais importantes da história da música na região. Juntos, eles fizeram um belo espetáculo.

SEMPRE SONHANDO

O professor Adriano é um visionário e não para de sonhar. Engana-se quem pensa que sua visão é apenas cultural. O trabalho desenvolvido através da Orji vai muito além da arte, ele tem cunho educacional. “Minhas aulas de violino não são para formar músico são melhorar a pessoa a parte cognitiva do cérebro, coordenação motora dos jovens”, explica o músico.

O primeiro ano foi promissor para o projeto, que inclusive participou da Semana Nacional do Ensino da Música da UFRJ.  Outra conquista foi a oportunidade da Orji inscrever seis alunos no pré-vestibular de música. Um deles passou para Escola Nacional de Música.

AMPLIANDO O PROJETO

O projeto social começou com poucos alunos, meses depois já tinha 80 inscritos e fechou o ano de 2017 com 250 alunos espalhados em seis polos: Na Catedral São Francisco Xavier, na Ilha da Gamboa, na Casa de Apoio Semeando para o Futuro, no Projeto Atitude, em Piranema, na Escola Municipal Senador Teotônio Vilella e na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRuralRJ).

A ideia de transformar vidas através da música clássica vai chegar as escolas municipais de Itaguaí. No início do ano letivo, a Orji estará em quatro escolas, ainda não divulgadas, para unificar o projeto à educação. “Você imagina uma criança acostuma com o funk entrar na escola e começar a ter acesso ao violino?”, indaga ele. Para a realização das aulas o projeto recebeu a doação de 600 violinos. E para aula de técnica vocal é necessário quatro pianos. Três já estão garantidos. “No início desta semana, ganhamos três instrumentos que serão levados para as escolas. Eles precisam de reforma. Com o dinheiro do show no teatro acredito que dará para pagar. Agora só falta mais um”, sonha o professor. E ele quer muito mais. “Meu sonho é ter uma escola técnica de música e uma orquestra sinfônica na cidade. Isso é mudar a cidade. Porque você começa a mudar as pessoas”, finaliza Adriano.

METAS PARA O FUTURO

Para 2018, a meta é continuar investindo no preparatório de alunos para o pré-vestibular de música, levar a Orji para conhecer a Orquestra de Instrumentos Reciclados de Cateura, no Paraguai, chegar a 500 alunos no primeiro semestre e fechar o ano com mil integrantes do projeto. Alguém dúvida que eles irão conseguir?

Última modificação em Segunda, 29 Janeiro 2018 13:28
Mais nesta categoria: Angra terá 12 dias de folia »