Feb 21, 2018 Last Updated 2:08 PM, Feb 21, 2018

Destaques

Mangaratiba intensifica combat…

PREVENÇÃO- A Secretaria Municipal de Saúde de Mangaratiba (SMSM) anunciou ontem ...

Sobe para 33 o número de morto…

CONFIRMADOS- Sobe para 33 o número de mortos pela febre amarela no estado do Rio...

Apresentação dos alunos da ofi…

CULTURA- Os alunos da oficina de verão de teatro de Itaguaí terão que esperar um...

Em Seropédica, servidores se qualificam em alimentação escolar

OS PROFISSIONAIS receberam orientações no auditório da Secretaria de Educação OS PROFISSIONAIS receberam orientações no auditório da Secretaria de Educação FOTO SEROPÉDICA ONLINE/LUIZ CALDERINI
Publicado em Cotidiano
Ler 294 vezes
Avalie este item
(0 votos)

TREINAMENTO- Aproveitando o período de férias escolares, a Prefeitura de Seropédica, através da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, está capacitando seus supervisores, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar. A gerente de Nutrição Sandra Regina de Assis Silva disse que o curso tem a duração de 32 horas, divididas em quatro horas por dia. A ideia é instituir práticas alimentares saudáveis na rotina dos alunos, por meio de ações de educação alimentar e nutricionais. No curso, os profissionais aprendem a manipular e a armazenar os alimentos, observando técnicas apresentadas pelas nutricionistas Adriana Araújo e Gabriela Tostes Reis Guimarães.

 

A nutricionista Gabriela Tostes Reis Guimarães explicou que o curso abrange tópicos constantes no Regulamento Técnico de Funcionamento de Serviços que prestam atenção domiciliar, segundo resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. As orientações incluem a regulamentação de técnicas de manipulação e conservação dos alimentos. “Todos os manipuladores de alimentos, inclusive donas de casa, devem conhecer informações e adotar práticas de higiene adequadas. A higienização adequada dos alimentos, dos manipuladores de alimentos e dos utensílios utilizados para manipular os alimentos é importante para evitar a contaminação química, física ou microbiológica, ou por outras substâncias indesejáveis. Com isso, a alimentação será mais saudável para nossos alunos da rede municipal de educação”, destacou Gabriela Tostes.