Loading...
Apr 22, 2018 Last Updated 4:35 PM, Apr 20, 2018

Água viva gigante é encontrada em Mangaratiba

Moradores e turistas de Junqueira, em Mangaratiba se espantam com água viva gigante Moradores e turistas de Junqueira, em Mangaratiba se espantam com água viva gigante FOTO DIVULGAÇÃO
Publicado em Cotidiano
Ler 2795 vezes
Avalie este item
(0 votos)

HABITAT - Uma água viva de espécie ainda desconhecida foi encontrada na praia de Junqueira, em Mangaratiba, por um morador enquanto passeava de barco. O registro foi feito nesta terça-feira (27) pela manhã. A foto foi publicada na internet e logo chamou a atenção dos internautas que ficaram impressionados com o tamanho do animal marinho.

Normalmente elas medem um palmo, aproximadamente, mas, variam bastante de tamanho. Existem algumas de menos de 2 centímetros e outras com mais de 2 metros de diâmetro, com tentáculos de até 40 metros de comprimento, e pode chegar a pesar mais de 200 quilos.

Após a foto do animal circular nas redes sociais, muitas pessoas começaram a relatar que as praias da Costa Verde estão infestadas de água viva. No período da primavera e verão, em que as praias estão lotadas, elas aparecem com mais frequência. Mas, apesar de linda, ela é muito perigosa e são capazes de provocar sérias queimaduras e até ferir os banhistas. .

Todo cuidado é pouco para os turistas que procurarem a Costa Verde como destino de férias.

CUIDADOS

Em caso de contato direto com a pele os primeiros sintomas a surgir serão vermelhidão, ardência e dor intensa no local afetado, que podem durar de 30 minutos a 24 horas.

Dependendo do grau da queimadura, a dor pode ser muito forte e a pessoa sentir até uma dificuldade na respiração. Então é importante sair logo da água e lavar a região, tendo-se também o cuidado com o que será usado na pele, para não agravar o quadro. Não se deve jamais friccionar com toalhas ou com a areia da praia, pois isso pode irritar ainda mais a pele e favorecer a penetração do veneno.

O ideal é lavar com água salgada, a do mar, e de preferência gelada. A tendência das pessoas é tentar lavar com água doce, mas as águas-vivas têm pequenas espículas que vão liberar o veneno justamente com esse contato. Ao contrário do pregado em ditados populares, também não se deve urinar na região afetada ou usar qualquer outro tipo de produto, como bebidas alcóolicas e refrigerantes, pois corre-se o risco de se gerar ainda mais inflamação e a pessoa vai acabar perdendo tempo em vez de seguir logo os procedimentos corretos.

 

Para os casos mais extensos pode ser necessária uma melhor avaliação do envenenamento, sendo indicado um auxílio médico, pois poderá haver indicação de receber medicamentos, como corticoides e analgésicos.

Mais Cotidiano

Últimas Notícias

Terceira Idade de Itacuruçá celebra o Dia do Índio com gincana

Os participantes realizaram diversas atividades... (leia mais)

Dificuldade na aprendizagem é tema de capacitação

MANGARATIBA A Diretoria de Assistência... (leia mais)

A caminho da regularização empresarial

Sebrae vai promover encontros destinados... (leia mais)