Sep 19, 2017 Last Updated 9:26 PM, Sep 18, 2017

Proteção à criança e ao adolesce em pauta

Público encheu as cadeiras do Teatro Municipal de Itaguaí para o 1º Fórum sobre os direitos da Criança e do adolescente Público encheu as cadeiras do Teatro Municipal de Itaguaí para o 1º Fórum sobre os direitos da Criança e do adolescente FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Cotidiano
Ler 401 vezes
Avalie este item
(0 votos)

O I Fórum do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente debateu temas como situação de rua e bullying

 

DEBATE Com o Teatro Municipal cheio e um público atento, aconteceu, durante toda a quarta-feira (30), o I Fórum do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), cujo título era: ‘Um olhar para a proteção da criança e do adolescente na modernidade’. Com um público atento, apresentações de música e dança de escolas da cidade palestrantes engajados na causa, os presentes tiveram momentos de reflexão sobre como lidar, debater e buscar soluções para sanar a falta de proteção dos pequenos que se encontram em situação de vulnerabilidade.

Entre os temas debatidos pelos especialistas estava a questão da criança e adolescente em situação de rua. O assunto foi exposto pela educadora popular e social da Rede Rio Criança, Marília Teixeira Lopes. Ela apresentou exemplos de abordagem e acolhimento pelas ruas do município do Rio de Janeiro.

Outro tema abordado foi a situação de bullying. Esta palestra foi dada pela educadora Janaina Santos, que também faz parte do Teatro do Oprimido e com isso, iniciou sua fala de maneira bem animada, com exercícios feitos no teatro. Mas como o assunto é bem sério, Janaína falou da necessidade de se prestar a atenção no comportamento de crianças que sofrem bullying e no das que praticam bullying, pois ambas precisam de atenção psicológica, precisam ser enxergadas pela escola e pela família.

O defensor público Eduardo Newton, desconstruiu a ideia de que existe um perfil do adolescente que comete ato infracional e disse que o que ocorre de fato é uma seletividade penal que recai muito mais sobre o jovem preto e pobre. Já a juíza Cristina Cordeiro expôs a dicotomia entre medida protetiva e medida socioeducativa.

As palestras, suscitaram a participação do público presente que expuseram algumas dificuldades do município. Para os vereadores presentes, Ivanzinho (PSB) e Waldemar Ávila (PHS), o fórum foi uma ótima oportunidade para que a cidade entre no rumo da proteção e possa contribuir com uma geração melhor.

Waldemar disse que aprendeu muito no fórum. “Eu apreendi aqui hoje que é necessário mudar a nossa mente. É preciso mudar a forma como enxergamos a situação. Esse fórum serviu para mostrar à sociedade que todos precisam participar, precisam contribuir, para que os números atuais possam mudar. O jovem que está em situação de rua, está gritando por um acolhimento, uma oportunidade, uma opção. Muitos deles estão ali por falta de opção e não porque desejam viver naquela realidade. Então, nós precisamos, enquanto poder público, enquanto sociedade civil, nos reunir e falarmos sobre isso para mudar essa realidade”, disse Waldemar.

Já Ivanzinho afirmou que, como parlamentar e presidente da Comissão da Pessoa com Deficiência, se sentiu contemplado com as questões passadas no fórum. “Eu venho lutando incansavelmente por políticas públicas que realmente contemplem as crianças e adolescentes do município, principalmente por causa da violência que tem acometido a cidade. Tenho apresentado projetos de lei que deem iniciação esportiva ao jovem para tira-lo da vulnerabilidade. São necessários projetos culturais para que os jovens estejam engajados [...]. O tema do fórum é realmente importante. Pois temos que discuti-lo num momento em que a cidade passa por uma violência tão grande”, destacou Ivanzinho.

O Fórum teve início às 8h da manhã e seguiu até às 17h, deixando a mensagem de que é preciso refletir sobre a situação de quem está vulnerável na sociedade.

O defensor Público, Eduardo Newton, desconstruiu a ideia de que há um perfil do adolescente infrator (FOTO CLEITON BEZERRA)

 

A educadora social tratou da questão do bullying. Ela disse que é preciso prestar mais atenção às crianças(FOTO DILCEIA NORBERTO)

 

Dilceia Norberto

Cleiton Bezerra

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Últimas Notícias