Jul 24, 2017 Last Updated 6:06 PM, Jul 24, 2017
Poder

Poder (170)

Avalie este item
(0 votos)

Categoria entrou em estado de greve e deliberou por repor aulas somente após pagamento do salário de dezembro

Avalie este item
(0 votos)

Prefeito Anabal diz que abertura da UPA 24h, implantação de centro de tratamento intensivo e de um centro de hemodiálise são prioridades de seu governo

Avalie este item
(0 votos)

Representantes dos funcionários da categoria vão à Defensoria Pública e repassam informações aos servidores durante assembleia

Avalie este item
(0 votos)

FIM Em assembleia realizada pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe/Itaguaí), na tarde desta terça-feira (4), os servidores da educação deliberaram pelo fim da greve. Os trabalhadores voltam às unidades escolares nesta quarta-feira (5), mas mantiveram o estado de greve.

De acordo com a categoria, caso o prefeito Charlinho (PMDB) não reveja os descontos nos salários efetuados no pagamento do dia 29 de março, os trabalhadores vão retomar a paralisação. Outra decisão tomada pela categoria diz respeito à reposição das aulas, que só será efetivada depois de 30 de junho. Os trabalhadores querem que o governo efetue o pagamento do salário de dezembro, como acertado em juízo.

Na segunda-feira (3), a Justiça havia tomado decisão favorável à categoria. A Prefeitura de Itaguaí havia feito um pedido de reconsideração à Justiça no que diz respeito à liminar que garante o exercício de servidores da educação que migraram para o regime de 40 horas. No entanto, a decisão judicial manteve a legitimidade da migração e destacou não haver qualquer coisa a reconsiderar.

 

Os profissionais da educação estavam em greve desde o dia 13 de fevereiro. A categoria exigia o pagamento de salários atrasados e a revogação de algumas medidas tomadas pela Secretaria Municipal de Educação, como o fim da migração, a exoneração de diretores adjuntos, a obrigatoriedade do cumprimento do 1/3 da carga horária exclusivamente na unidade, entre outras coisas. Ainda há ações judiciais a serem julgadas. Por enquanto, a justiça tem dado ganho de causa para a educação.

Avalie este item
(0 votos)

AMEAÇAS Servidores de Itaguaí afirmam que o governo está agindo de má fé ao publicar na última edição do Jornal Oficial a instauração de sindicância para apurar irregularidades que teriam ocorrido nas secretarias de municipais de Educação, Assistência Social e Saúde. Os profissionais afirmam que o que o Executivo Municipal quer é considerar que houve abandono de 30 dias corridos, para gerar exoneração do servidor.

Avalie este item
(1 Votar)

SAÚDE A criação de um consórcio intermunicipal para integrar as ações de Saúde na região da Costa Verde foi debatida neste sábado (1), no Hotel Portobelo. O evento reuniu representantes dos municípios de Angra dos Reis, Paraty e Mangaratiba e da Secretaria de Estado de Saúde.

Avalie este item
(0 votos)

Descontos chegam a R$ 2 mil reais e servidores acreditam em perseguição aos grevistas

Avalie este item
(0 votos)

PARALELO O vereador da oposição, Willian Cezar (PSB) fez um paralelo entre o final do governo Luciano Mota e o início da nova gestão de Charlinho, durante a sessão ordinária de terça-feira (28).  “Como não comparar o início do governo CBJ com o final do governo LCM. A sensação que eu tenho na rua e andando por essa Casa é a mesma sensação que eu vi naquela época. O início desse governo e o fim daquele estão muito parecidos. Isso muito me preocupa. Espera-se realmente que essa cidade volte a ter luz. Que volte a clarear”, disse Willian.

Avalie este item
(0 votos)

Para o Sepe, decisão beneficia om próprio governo, pois déficit na rede municipal é reduzida com as 40 horas

Avalie este item
(0 votos)

EXPEDIENTES A Casa não estava tão cheia e a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Itaguaí desta terça-feira (28) Transcorreu com tranquilidade. Os moradores de Piranema continuaram fazendo os protestos com faixas e mais uma vez foram elogiados pelos parlamentares, que contaram com a presença do ex-vereador e ex-presidente da Casa, Vicente Rocha. O tom da sessão ficou por conta dos elogios dos edis ao Programa de Submarinos (Prosub) da Marinha do Brasil.