Sep 20, 2017 Last Updated 5:00 PM, Sep 19, 2017

Vereadores de Itaguaí criam comissão especial contra a Cedae

Vereador Genildo Gandra, que faz parte da comissão especial, cobra uma posição do Executivo sobre a Cedae Vereador Genildo Gandra, que faz parte da comissão especial, cobra uma posição do Executivo sobre a Cedae   FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Poder
Ler 1377 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Cinco parlamentares foram nomeados para investigar e cobrar da empresa melhorias no serviço prestado ao município

 

WELINGTON CAMPOS

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Após ser alvo de várias reclamações de vereadores e moradores de Itaguaí, que sofrem com desabastecimento de água potável, a Cedae entrou na mira da Câmara Municipal de Itaguaí, cujo presidente Rubem Vieira (PTN), criou uma comissão especial para cobrar da empresa a prestação do serviço em Itaguaí. A instituição do colegiado foi anunciado durante a sessão desta terça-feira (9), depois de aprovada por unanimidade.

Os cinco vereadores terão a missão de cobrar da Cedae o cumprimento de acordo assinado com o município, segundo o qual a empresa se comprometia a levar água potável a todos os munícipes, além de dar continuidade à construção de reservatórios, o que não vem acontecendo. Os membros nomeados são os vereadores Noel Pedrosa (PT do B), Roberto Lúcio Espolador Guimarães (PMDB), Genildo Gandra (PDT), Junior do Sítio (PV) e Minoru Fukamati (PSD).

A decisão de criar a comissão especial se deu após o vereador Noel Pedrosa usar a tribuna para criticar a falta de saneamento básico no município. Pegando gancho na indicação do vereador Sandro da Hermínio, que solicitava melhorias para o bairro de Brisamar, Noel aproveitou para ressaltar que a Cedae deveria tratar o esgoto de todo o município, uma vez que a empresa cobra pelo serviço. “Atualmente, Itaguaí não possui nenhum tratamento de esgoto. A única estação de tratamento está desativada há mais de 15 anos. Até quando munícipe vai ficar pagando por um serviço que não é prestado? A Cedae é uma concessão e esse dinheiro não vai para o município e, sim, para o bolso da Cedae”, afirmou o vereador, sugerindo até a contratação de uma empresa privada para prestar o serviço em Itaguaí.

O vereador Sandro da Herminio pediu ajuda dos colegas para, de imediato, solucionar a falta d’água na localidade conhecida como Rodoférrea, que pertence ao bairro Piranema. Segundo o parlamentar, são 300 casas não abastecidas de água. “Os moradores estão usando água de poço artesiano, que está com ferrugem e sem nenhum tratamento”, denunciou. 

O vereador Genildo Gandra disse que a Cedae tem de cumprir com suas obrigações. Segundo o parlamentar, já foram criadas várias comissões contra a Cedae, e, mesmo assim, a empresa não cumpriu o que prometeu. Segundo ele, a Cedae é uma empresa vinculada ao Governo do Estado e tem que ter responsabilidade com o cidadão itaguaiense, que é consumidor. “Responsabilidade essa que ela não vem tendo. São vários bairros que estão sofrendo com a falta d’água. A Cedae tem cumprir o contrato que foi assinado com a prefeitura, que concedeu à empresa os cuidados com a água e o esgoto. Só que esse contrato prevê a construção de reservatórios que com a crise do estado, as obras foram paralisadas. O município tem que cobrar que a Cedae cumpra o contrato. Não adianta a gente trazer os representantes da Cedae aqui e não haver do Executivo uma cobrança da empresa para que coloque em prática o que foi acordado no contrato”, concluiu Genildo.  

Não compareceram a sessão desta terça-feira, os vereadores Willian Cezar (PSB), Eliezer Lage Bento (PRTB), Carlos Eduardo Carneiro Zóia (PSD) e Carlos Kifer (PP).