May 23, 2017 Last Updated 1:46 PM, May 19, 2017

Salários com descontos abusivos em Itaguaí

Servidores da Saúde se reuniram na Praça Vicente Cicarino para debater a situação em assembleia    Servidores da Saúde se reuniram na Praça Vicente Cicarino para debater a situação em assembleia   FOTO DILCEIA NORBERTO
Publicado em Poder
Ler 2378 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Descontos chegam a R$ 2 mil reais e servidores acreditam em perseguição aos grevistas

Dilceia Norberto
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Os servidores de Itaguaí amanheceram com uma baita dor de cabeça. O motivo? Descontos abusivos nos salários que conseguiram receber. Como anunciado pelo governo, o pagamento saiu nesta quinta-feira(30), mas o susto foi grande. Alguns servidores tiveram descontos de até R$ 2 mil reais.

Trabalhadores da saúde municipal se reuniram na Praça Vicente Cicarino para uma assembleia, onde discutiram as decisões a serem tomadas. “A gente ainda está digerindo o que aconteceu. Estamos em greve há alguns meses por falta de salários e com a mudança da gestão, até agora não houve diálogo. Hoje sofremos descontos altos em nossos salários que vão de R$ 500 a R$ 2 mil, como é o meu caso”, afirmou um psicólogo. O funcionário ainda afirmou que o ponto de registro dos funcionários não saiu de unidades de trabalho com falta. Seguiu para a Secretaria de Saúde com o código administrativo de greve 59. 

Outra servidora disse acreditar que o que está ocorrendo é uma perseguição, porque não há critério nos descontos. “Ele foi descontado em R$ 2 mil, eu fui em R$ 700, outro colegas em outros valores. Então, não há lógica, não há critério. Vamos esperar as orientações do sindicato para sabermos o que fazer”, afirmou a terapeuta ocupacional, que disse que os funcionários que aderiram à greve estão sendo tratados com agressividade pelas coordenadorias das unidades, que estariam usando ameaças veladas.

Após a assembleia em que mantiveram a greve, os servidores da Saúde e da Assistência Social realizaram um ato em que foram caminhando até a Secretaria de Saúde. Lá entregaram relatórios escritos de próprio punho pelos servidores e cópias dos contracheques, que apontavam faltas.

“Há pessoas que tiveram descontos diversos e teve gente, como o pessoal da enfermagem do posto de saúde do centro, onde ninguém recebeu. O pessoal que trabalhou só para cumprir os 30% do efetivo para manter atendimentos de emergência, só receberam pelos 30%. Lá, nos informaram que o desconto não tinha a ver com a greve. O que é uma grande mentira. O pessoal do centro, que atua fortemente na greve, teve corte integral. Ninguém recebeu salário. As unidades com maior expressividade na greve, foram os locais mais atacados”, afirmou a representante do Sindicato dos Profissionais da Saúde (Sindsprev), Hellen Oliveira. Hellen também disse que a categoria vai se reunir na manhã de hoje (31), às 11h, no fórum da cidade. O objetivo é recorrer ao Ministério Público.

A PREFEITURA

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Prefeitura de Itaguaí divulgou nota na tarde desta quinta-feira para informar os motivos dos descontos. “A Prefeitura de Itaguaí esclarece que foi obrigada a fazer o desconto de contribuição sindical, para todos os empregados, que corresponde a um dia de trabalho. A Prefeitura informa aos servidores que obedeceu a legislação em vigor, o valor descontado será repassado aos sindicatos”.

Se os descontos foram por conta da contribuição sindical, que, como determinado por lei, corresponde a um dia de trabalho, vale destacar que as diárias dos servidores da saúde que falaram com o ATUAL estão bastante valorizadas. Assim, quem não vai querer ser servidor público em Itaguaí, quando se pode ganhar até R$ 2 mil por dia?