Loading...
Sep 21, 2018 Last Updated 8:27 PM, Sep 20, 2018

Concurso da Polícia Civil do Rio de Janeiro 2018 é autorizado

POLICIA CIVIL abrirá concurso para todos os níveis de escolaridade POLICIA CIVIL abrirá concurso para todos os níveis de escolaridade FOTO DIVULGAÇÃO PCRJ
Publicado em Serviço
Ler 596 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Edital de concurso deve contar com vagas para todos os níveis de ensino

OPORTUNIDADE A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro vai divulgar a abertura de novo edital de concurso público para o preenchimento de 80 vagas. A confirmação veio através do despacho publicado no Diário Oficial do Estado (veja abaixo), na edição do dia 06 de julho. As oportunidades devem ser abertas em cargos de ensino fundamental, médio e superior.

O edital de concurso PC/RJ 2018 foi autorizado para os cargos de Inspetor (50 vagas), Médico Legista (20 vagas), Técnico de Necropsia (04 vagas) e Auxiliar de Necropsia (06 vagas). O quantitativo de oportunidades é baixo devido ao regime de recuperação fiscal que passa o Estado. No momento, a corporação só poderá preencher cargos que ficarem vagos por aposentadorias, mortes ou exonerações.

O cargo de Auxiliar de Necropsia da Polícia Civil/RJ requer nível fundamental e conta com salário de R$4.743,12. Já para Técnico de Necropsia, é exigido nível médio. A remuneração é de R$5.809,58.

Para concorrer ao cargo de Inspetor de Polícia Civil será necessário nível superior em qualquer área. Os profissionais aprovados no cargo fazem jus ao salário de R$8.084,69. Por fim, a função de Médico Legista tem exigência de graduação nas áreas de Medicina, Odontologia, Farmácia e Bioquímica. O salário é de R$9.376,46, além de benefícios.

Segundo o general Richard Nunes, novo secretário de Segurança do Rio de Janeiro, é necessário realizar concursos anualmente concursos para as Polícias Civil e Militar do Estado. Durante cerimônia de convocação dos 1.380 aprovados no último certame da Polícia Militar, o general comentou que o fortalecimento das instituições de segurança vem com o ingresso de novos candidatos. Ainda de acordo com ele, é “melhor contratar pouco a cada ano do que muitos de uma vez só”.