Loading...
May 21, 2018 Last Updated 1:48 PM, May 18, 2018

Cadê as emendas parlamentares relacionado à saúde de Itaguaí?

Publicado em Poder
Ler 173 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Vereadores do bloco suprapartidário questionaram o destino de R$ 10 milhões destinados à saúde pelo deputado federal Alexandre Valle

COBRANÇAS As emendas parlamentares do deputado federal Alexandre Valle encaminhadas para Itaguaí, no valor de mais de R$ 10 milhões, destinadas à saúde pública, foi assunto de questionamento e de debate por mais de uma hora durante a sessão desta terça-feira (15) da Câmara Municipal de Itaguaí (CMI).
A polêmica surgiu após a leitura do requerimento de informação para o Poder Executivo,  apresentado pelo bloco suprapartidário, que questionava, além da verba, os problemas relacionados à saúde pública do município. Entre os questionamentos dos vereadores do bloco estavam a falta de ambulâncias, a inoperância da UPA 24h, a manutenção das unidades de saúde e o estado caótico em que se encontra o Hospital Municipal São Francisco Xavier (HMSFX).

No requerimento, o bloco suprapartidário justificava que as verbas destinadas à saúde pelo deputado Alexandre Valle poderiam ter sido utilizadas pelo município para, ao menos, amenizar os problemas existentes. No documento, os vereadores André Amorim (PR), Genildo Gandra (PDT), Ivan Charles (PSB), Willian Cezar (PSB) e Waldemar Ávila (PHS) cobravam uma resposta do Executivo sobre o destino da verba.

Após a leitura do requerimento, o vereador André Amorim usou a tribuna para falar sobre a saúde pública do município. O parlamentar iniciou o seu discurso sugerindo uma indicação legislativa com objetivo de mudar a Secretaria Municipal de Saúde para Secretaria Municipal de Doença. André Amorim destacou que Itaguaí recebeu várias emendas parlamentares, mas ninguém sabe se foram utilizadas. “Se mandou a verba e o prefeito não usou ninguém desta casa sabe. Esse requerimento de informação visa que a gente esclareça essa questão: se veio ou se não veio, quando veio, aonde foi aplicada ou por que não foi aplicada?”, questionou.

O vereador Ivan Charles lembrou que o secretário de saúde de Itaguaí aparece em uma foto recebendo do deputado federal Alexandre Valle o cheque da verba parlamentar. “Lamentavelmente a gente não vê ambulâncias circulando pela cidade, a UPA poderia ser aberta, pois a gente sabe que não é só a verba da prefeitura que vai manter a unidade aberta, pois conta também com verba estadual. Com esse valor que foi destinado daria para abrir a UPA e ainda comprar equipamentos e medicamentos de que tanto a saúde da cidade carece. Esperamos que esse secretário venha a público esclarecer sobre essa verba”, ressaltou. 

 Já o vereador Willian Cezar explicou que o requerimento de informação nada mais é que um direito do parlamentar de receber as informações. “Precisamos saber o que está acontecendo com a saúde de Itaguaí. Não existe uma unidade básica de saúde do município que esteja funcionando bem”, criticou.

Em defesa do Executivo, o vereador Sandro da Hermínio (PT do B) solicitou que o grupo suprapartidário retirasse da pauta o requerimento de informação e em troca se comprometeu a trazer, no prazo de uma semana, todos os questionamentos citados sobre a emenda parlamentar destinada à saúde.

Antes mesmo da retirada do requerimento, o vereador Genildo Gandra também usou a tribuna para destacar que são mais de R$ 10 milhões para serem aplicados na saúde de Itaguaí. “É um absurdo imaginar que o município deixa de usar essa quantia vinda de forma gratuita para o município. A nossa saúde não tem aparelho de Raio-x, não tem remédios nos postos de saúde, atualmente não se faz cirurgia no HMSFX, faltam médicos e insumos”, destacou.

Após os questionamentos e a solicitação do vereador Sandro da Herminío, o pedido da retirada do requerimento de foi acatado pelo bloco suprapartidário.

PROTESTOS

Durante a sessão, um grupo formado por mães de alunos da rede municipal de ensino fez um protesto pacífico cobrando melhorias no fornecimento da merenda escolar. Com cartazes, os manifestantes cobravam uma resposta do Executivo e do Legislativo para a falta de alimentos nas unidades escolares. Durante a sessão, o grupo distribuiu um caldinho de feijão em protesto à falta de feijão na merenda nas escolas. 

WELINGTON CAMPOS

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.