Loading...
Jul 19, 2018 Last Updated 12:59 PM, Jul 18, 2018

Pelo direito à gratuidade no transporte público

Publicado em Poder
Ler 947 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Alunos protestam na CMI pelo cumprimento da lei que assegura a gratuidade nos transportes públicos. Manifesto chegou ao Legislativo após aluna ser barrada em ônibus

 

DIREITO CONSTITUÍDO Um protesto de alunos e professores da Escola Estadual Sandra Roldan Barboza marcou a sessão desta terça-feira (17), na Câmara Municipal de Itaguaí (CMI). Com cartazes, os manifestantes solicitavam uma rigorosa fiscalização das autoridades no transporte público do município após uma aluna unidade estadual ter sido barrada no ônibus da Viação Itaguaí e ter tido que caminhar do centro de Itaguaí até sua residência na Ilha da Madeira.

O caso deixou toda a comunidade escolar revoltada resultando no fato de a direção da Escola Sandra Rodam denunciar a empresa na Comissão de Transportes da CMI. O presidente da Comissão de Transportes, vereador Noel Pedrosa (PT do B), disse que recebeu a denúncia e que já está tomando as providências.

O líder de governo na CMI e um dos membros da Comissão de Transportes, Sandro da Hermínio (PT do B), disse que esteve na empresa para obter algumas informações sobre o fato. Sandro contou que conversou com senhor Marcos Tadeu que alegou que há seis anos os preços das tarifas não são reajustados. O vereador contou que representante da Viação Itaguaí explicou que não consegue colocar a frota de 40 ônibus em dia e que apenas 10 veículos estão circulando. Ainda segundo o vereador, o representante da empresa relatou que dos 250 passageiros transportados diariamente, 60% são gratuidades. O parlamentar ressaltou que indagou o porquê a empresa está colocando ônibus de porte menor para circular? Em resposta, o representante da empresa disse que não consegue manter os ônibus maiores com os valores baixos das tarifas. Porém, de acordo com vereador Sandro, o representante da empresa disse que jamais determinou qualquer tipo de proibição aos alunos.

Discordando do posicionamento dado pelo representante da empresa, o vereador Willian Cezar (PSB), destacou que vem lutando pela gratuidade nos transportes para alunos do município. “Não é de hoje que há reclamações de alunos barrados nos ônibus que circulam em Itaguaí. São 15 quilômetros que essa jovem andou até a sua casa. Ela chegou à noite em casa, pois essa estudante frequenta a escola no período da tarde. Não é admissível que a aluna tenha passado por isso, sem contar que ela correu risco de caminhar por bairros que têm confrontos entre as facções e altos índices de assaltos. É inaceitável que o representante da empresa justifique que é o preço do combustível que está mais caro. Ele não faz o trajeto todos os dias com ou sem a estudante? Não há justificativa para essa questão”, desabafou o vereador ressaltando que já encaminhou o caso para Promotoria da Tutela Coletiva de Educação, em Nova Iguaçu, para a Comissão de Direitos Humanos e para a Comissão de Educação, ambas da Alerj.

INDÚSTRIA DAS MULTAS

Dando continuidade aos trabalhos da Ordem do Dia, os vereadores aprovaram, por unanimidade, o requerimento de informação direcionado ao chefe do Executivo cobrando explicações sobre as excessivas multas de trânsito aplicadas em 2017. O documento de autoria do vereador Waldemar Ávila (PHS), contém questionamentos sobre as multas. Ele quer saber, por exemplo, quais são as 10 principais infrações de trânsito aplicadas em 2017 e 2018, e o valor de cada uma delas. Também solicita a relação dos agentes de trânsito e quantitativo de multas aplicadas por cada um deles nos anos de 2017 e 2018.

REQUERIMENTO REPROVADO

Já o requerimento de informação de autoria dos vereadores Ivan Charles (PSB) e André Amorim (PR), não teve a mesma sorte e foi rejeitado pela base governista.  No documento, os parlamentares cobravam do Poder Executivo explicações sobre os problemas de infraestrutura do Posto de Saúde do Monte Serrat. Dentre os questionamentos estavam a previsão para reforma das áreas internas e externas da unidade, a falta de insumos como: gazes e álcool 70º, além dos constantes arrombamentos por falta de guarda patrimonial.

Em sua página no Facebook, o vereador Ivan Charles lamentou a rejeição do requerimento de informação.

PROJETO REJEITADO

Ainda durante a sessão, o Plenário da Câmara Municipal rejeitou por 7 votos a 5, o parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), do projeto de lei de autoria dos vereadores Willian Cezar e Genildo Gandra (PDT), que proíbe a cobrança de taxa de iluminação pública aos contribuintes que em sua rua tiver 50% ou mais de lâmpadas queimadas. “A cidade está praticamente às escuras, trazendo insegurança e facilitando a ação de criminosos. É inaceitável pagar por um serviço que não está sendo prestado em nosso município”, destacou o vereador Willian Cezar, após a rejeição do projeto.

HOMENAGEM PÓSTUMA

Tão logo a sessão ordinária foi aberta, a Câmara Municipal de Itaguaí prestou um minuto de silêncio em homenagem póstuma a analista de relações institucionais da Mineradora Vale, Márcia Moreira, que faleceu na última quinta-feira (12).

 

WELINGTON CAMPOS

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.