Loading...
Apr 23, 2018 Last Updated 4:35 PM, Apr 20, 2018

Fórum da cadeia produtiva tem novo encontro em Itaguaí

 Reunião do Fórum de Fornecedores da Cadeira Produtiva de Itaguaí prepara  ações para 2018 Reunião do Fórum de Fornecedores da Cadeira Produtiva de Itaguaí prepara  ações para 2018 FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Cotidiano
Ler 23787 vezes
Avalie este item
(2 votos)

Encontro foi o segundo do ano e o primeiro após a definição da agenda de ações para os próximos dez meses

FOMENTO A Associação Comercial, Industrial e Agro Pastoril de Itaguaí (Aciapi) recebeu, na quinta-feira (22), membros do Fórum de Fornecedores da Cadeia Produtiva de Itaguaí (FFCPI). Na reunião, foi apresentado o calendário de ações para 2018 e debatidas questões relacionadas à execução das atividades.Participaram do encontro representantes da Itaguaí Construções Navais (ICN), Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), Porto Sudeste, Sepetiba Tecon, Vale, Odebrecht, Marinha do Brasil, assim como os novos representantes do CREA em Itaguaí, vereadores, representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável e empresários locais.

As atividades foram conduzidas por representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a gestora de projetos, Juliana Baptista Lima, e o gerente da área de grandes empreendimentos, Renato Regazzi.

A gestora de projetos do Sebrae, Juliana Baptista Lima, conversou com o ATUAL de forma exclusiva e detalhou como funciona o Fórum de Fornecedores da Cadeia Produtiva de Itaguaí (FFCPI) e quais sãos os objetivos e ações executadas pelo colegiado. Segue a entrevista:

Qual é a importância de uma iniciativa como a do Fórum de Fornecedores da Cadeia Produtiva de Itaguaí (FFCPI) para uma cidade como Itaguaí?

O Fórum já está atuando no município e aqui na região há pouco mais de dois anos. Ele vem somar aqui para a região no sentido de fomentar o empreendedorismo, a questão do desenvolvimento local, aproximando as grandes empresas aos pequenos empresários que estão localizados no município. As grandes empresas instaladas aqui têm a necessidade de compras, contratação de serviços e fornecimento de produtos. O Fórum vem muito para somar nessa questão de atuar nos gargalos, nos potenciais de fornecimento, nas necessidades que essas grandes empresas têm. Nós como Sebrae, uma instituição de fomento, temos esse trabalho de unir as duas pontas, de um lado a demanda das grandes e do outro a oferta. O nosso intuito é diminuir esse gap (distanciamento) nessa relação para aproximar e também para desenvolver esses pequenos para que possam ter capacidade de fornecer para essas grandes empresas.

Quais resultados práticos são esperados decorrentes do desenvolvimento e da ampliação do FFCPI?

No Fórum a gente tem alguns indicadores, que a gente usa para mensurar os resultados. A gente promove diversas ações não só de acesso ao mercado. No Fórum levantamos as demandas das grandes, chamando empresários para conversar, não só com essas grandes, mas também entre si. O pequeno empresário também compra do pequeno empresário. São realizadas diversas atividades para poder fomentar negócios e com isso a gente alavancar os resultados. Então, a gente já tem aqui, através desses indicadores que a gente mensura, um aumento de 51%, relacionados à circulação de capital, do volume de compras aqui. Além também, do número de pequenos empresários que passaram a vender para essas grandes empresas.

Durante a existência em Itaguaí do FFCPI surgiu algum caso de destaque? Qual?

O caso da empresa No Padrão, localizada no bairro Chaperó, que fornece uniformes para a Itaguaí Construções Navais (ICN). Essa empresa de Itaguaí participou de uma rodada de negócios, nessa rodada ela teve a oportunidade de apresentar para a ICN o seu produto, que resolver testar o material. Anteriormente, a ICN fazia toda a compra de uniformes de uma empresa de Minas Gerais e a partir desta oportunidade ela passou a testar esse material local, em 2015, e hoje essa empresa de uniformes continua fornecendo para a ICN. Com o fornecedor local, a ICN conseguiu reduzir o custo do uniforme, porque o fornecedor está do lado, ou seja, o custo do frete é bem mais baixo. O empresário fornecedor também conseguiu contratar pessoas, localmente, para poder dar conta da nova demanda, ele compra novos insumos e isso impacta em toda a cadeia de fornecimento.

O que o pequeno empresário precisar para ingressar nas ações do FFCPI?

O nosso intuito é que as pequenas empresas participem mais das ações do Fórum. Aqui, as ações são abertas para qualquer empresa de Itaguaí, adjacências também podem participar, e geralmente são gratuitas, só sendo necessário fazer uma inscrição prévia. Não só as ações de mercado, das sessões que a gente promove, mas também das atividades de capacitação, como os workshops temáticos. Todas as ações são abertas, basta o empresário se inscrever e participar.  

Que orientações podem ser úteis para que pequenos empresários superem um momento econômico desfavorável?

No momento complica o empresário tende a refletir sobre o seu negócio. Os empresários locais tem que aproveitar esses eventos para fazer networking, porque o empresário fica muito dentro da empresa, acostumado a receber a demanda, agora ele tem que sair para o mercado. Nesses eventos o empresário tem a oportunidade de falar com várias empresas em um dia só. Então, em duas horas de evento o empresário consegue falar com trinta, quarenta empresas, o que no dia-a-dia ele não teria acesso, para trocar cartão, fortalecer um vínculo, mostrar seu produto.    

Que tipo de produtos e serviços podem atender as demandas das grandes empresas da região?

As demandas são variadas, porém costumam ser na área de ferragens; ferramentas; material hidráulico; material elétrico; transporte de resíduos; uniformes; água; gás; produtos de limpeza; serviços de usinagem e calderaria; enfim diversas demandas.     

Quais desdobramentos podem surgir das ações do Fórum?

Através do Fórum a gente tem vários desdobramentos. Ele trata essas questões do fornecimento local, porém abrande também outras questões. Então, a gente já conseguiu também implementar a primeira parte do Regin, na Prefeitura de Itaguaí. Logo mais a segunda etapa também vai ser implementada e o alvará sairá online, um ganho muito grande para o município. A gente precisa divulgar mais o Fórum para que as empresa entendam que é difícil fornecer uma grande empresa, porém não é impossível. As empresas fornecedoras precisam fazem o trabalho de casa, vir se apresentar, dizer que ela existe, dizer com que produto ela trabalha, se mostrar disponível, correr atrás, fazer o cadastro, entender como funciona. Além disso ficar atento também a questão das documentações, deixar em dia as certidões, porque não adiante ele ter preço, qualidade e conseguir entregar se ele não tem os documentos necessários.  

Última modificação em Domingo, 25 Março 2018 11:21