May 25, 2017 Last Updated 3:00 AM, May 25, 2017

Sem transporte e sem acesso à educação

Falta de transporte Universitário preocupa estudantes que pensam em trancar matrícula na faculdade Falta de transporte Universitário preocupa estudantes que pensam em trancar matrícula na faculdade Foto Italo Dornelles
Publicado em Cotidiano
Ler 7779 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Transporte universitário ainda não está funcionando o que prejudica mais de 1000 estudantes de Itaguaí

MENOS MIL Estudantes do ensino superior que cursam a graduação em universidades da Zona Oeste e de Seropédica estão pensando em parar de estudar por conta da falta do transporte universitário que, há mais de 20 anos, é custeado pela Prefeitura de Itaguaí e oferecido gratuitamente aos alunos. Se nos anos anteriores os universitários tinham conforto, gratuidade e horários definidos para ir e voltar da faculdade, hoje, eles precisam pagar a tarifas altíssimas para estudar, além de saírem mais cedo da aula para não perder a última condução.

Diferentemente do Rio de Janeiro, os últimos horários de funcionamento dos ônibus em Itaguaí, são por volta das 22h e caso o estudante perca a condução, não há outra opção viável para voltar para casa. O ATUAL esteve na sede da Prefeitura de Itaguaí onde alguns alunos buscavam explicação sobre a ausência do serviço como a estudante de Letras da Faculdade de Educação Continuada (Feuc), Edilaine Gonçalves.  Edilaine estuda à noite e ressalta que a transporte era muito importante, justamente, pela precária condução que a região oferece. “Ao sair às 23h, não temos mais condução pública, por isso, o transporte universitário era muito necessário para eu continuar estudando. Eu sou beneficiada com o serviço há dois anos e estou preocupadíssima com esta falta de informação, cheguei a pensar em até trancar a matrícula da faculdade porque não tenho como pagar a passagem e mensalidade”, afirmou a estudante, Edilaine Gonçalves preocupada com o seu futuro incerto.

Outra universitária, que também utiliza o serviço há três anos, é Maria Marques, que cursa de Direito na Unisuam. Moradora do bairro Ponte Preta, Maria gastaria R$ 8,00 por dia para ir para a faculdade e voltar para casa. Por mês, seriam R$ 176,00 reais a menos no orçamento da estudante. “Sou estagiária e tenho que pagar passagem todo santo dia para terminar meu curso. A aula acaba às 22h. Além de ser uma viagem cansativa, é insegura e cara. Preciso do transporte assim como muitos outros estudantes moradores de Itaguaí”, afirmou a estudante de Direito, Maria Marques.

No ano passado, a última gestão da prefeitura disse que eram 1200 universitários que utilizavam o serviço que era feito por ônibus da empresa Expresso Recreio com ar-condicionado, carregador de celular e internet WI-FI.  A Prefeitura de Itaguaí, por meio da assessoria de imprensa, está analisando as questões contratual e orçamentária do serviço prestado.



Falta de transporte Universitário preocupa estudantes que pensam em trancar matrícula na faculdade
Foto Italo Dornelles

 

Última modificação em Terça, 07 Fevereiro 2017 11:27