Nov 20, 2017 Last Updated 5:46 PM, Nov 17, 2017

Câmara rejeita solicitação de líder do governo

Câmara rejeita solicitação de líder do governo FOTOS CLEITON BEZERRA
Publicado em Poder
Ler 1017 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Parlamentares de Itaguaí votaram contra pedido de dispensa de interstício de Sandro da Hermínio

NÃO Pela primeira vez, em muito tempo, os suprapartidários venceram uma votação na Câmara de Vereadores. Na verdade, não foram os suprapartidários que venceram. O que houve de fato foi uma derrota do líder do governo, Sandro da Hermínio (PT do B). Depois que o Presidente da Casa, Dr. Rubem Ribeiro (PTN), fez um desabafo sobre as acusações de que estaria prolongando as sessões ordinárias com o objetivo de causar um esvaziamento das assembleias e só então colocar as matérias mais polêmicas em votação, Sandro foi à tribuna para parabeniza-lo.

Aliás, Sandro da Hermínio parabenizou todos os vereadores (isso inclui ele mesmo. Assim, ele até poderia ter dito: parabéns para mim). No ensejo, o líder solicitou dispensa de interstício para todas as matérias da pauta desta terça-feira (12).

O primeiro a rechaçar a solicitação do líder foi Genildo Gandra (PDT). “Eu sou contra a dispensa de interstício, porque isso tira a oportunidade do vereador de ter contato com a matéria, estudar a matéria e saber no que está votando. Gostaria de justificar meu voto e voto contra”, afirmou o pedetista.

Para surpresa do autor da solicitação de dispensa de interstício, o vereador Carlos Kifer (PP) disse que concordava com o colega veterano e também era contra a dispensa. “Eu até concordo com o vereador Genildo na questão do líder do governo. As matérias têm que ser debatidas. A gente não pode chegar aqui e votar a matéria sem debater, sem discutir. Se tem alguma matéria importante do Poder Executivo, vossa excelência (Sandro da Hermínio) pede dispensa de interstício para essa matéria. Não pode pedir para todas as matérias. As matérias têm que ser discutidas nas comissões. A gente tem que debater, se não, o parlamento não funciona”, explicou Kifer.

O pedido do líder entrou em votação e foi rejeitado por nove votos a sete. Com presença de todos os vereadores na plenária, votaram contra os suprapartidários: André Amorim (PR), Ivanzinho (PSB), Genildo Gandra, Waldemar Ávila (PHS) e Willian Cezar (PSB). Além dos parlamentares da base de apoio, Carlos Kifer, Vinicius Alves (PRB), Gil Torres (PTN) e Zezé (PRTB).

A questão pareceu ser um caso de coerência, principalmente partindo dos mais experientes. Pois a maioria dos novos está devidamente orquestrada. No entanto, logo a coerência acabou. Todos falaram do direito de fiscalizar do vereador e da obrigação em prestar informações. Mas na hora de votar no pedido de informações sobre a folha de pagamento dos contratados pela Secretaria de Esportes da atual gestão, a base de apoio votou contra. O caso gerou uma discussão entre o vereador Waldemar e Noel da SOS (PT do B), que solicitou pedido de informação da Secretaria de Assistência Social da gestão anterior. Reinou a contradição.

Vereadores votaram contra a solicitação da dispensa de interstício feita pelo líder do governo

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.