Sep 24, 2017 Last Updated 5:54 PM, Sep 22, 2017
 
 
 
 
 

Na esperança de um emprego, munícipes vão à Câmara

Pessoas esperavam no saguão da Câmara para serem atendidas no gabinete do vereador Gil Torres Pessoas esperavam no saguão da Câmara para serem atendidas no gabinete do vereador Gil Torres FOTO DILCEIA NORBERTO
Publicado em Poder
Ler 1124 vezes
Avalie este item
(1 Votar)

Objetivo era ser atendido no gabinete do vereador Gil Torres, que está dando cartas de apresentação

NA FILA A terça-feira (29) começou bem agitada na Câmara Municipal de Itaguaí. E não foi por conta da sessão ordinária não. A coisa começou bem cedo. Centenas de desempregados se aglomeraram na frente da sede do Legislativo Municipal à espera da chegada do vereador Gil Torres (PTN). 

Por volta das 10h30, ainda chegava gente que se juntava às pessoas que aguardavam para serem atendidas no gabinete do vereador. O vereador Gil Torres garantiu que a grande quantidade de pessoas esperando para serem atendidas por ele foi uma grande surpresa. “Hoje ao chegar à Câmara, minha assessora e o chefe de gabinete tomaram um susto. Eu não divulguei de forma alguma. As pessoas estavam vindo aqui e me explicavam a situação de desemprego, pediam ajuda. Já que a lei foi sancionada, então vamos fazer uma carta baseada em cima da lei. Nisso, as pessoas começaram a divulgar entre elas e comentando no Whatsapp e deu esse estouro. Chegou 8h da manhã, tinha mais de 100 pessoas aqui na porta a Câmara”

A ida das pessoas à Câmara foi motivada por uma carta de apresentação, que o vereador Gil Torres está concedendo aos munícipes para que estes vão em busca de empregos em empresas instaladas no município. De acordo com o parlamentar, a carta se baseia na Lei 3.510, de autoria do vereador Zezé (PRTB), que trata da obrigatoriedade de empresas na cidade contratarem pelo menos 70% de mão de obra local.

“As pessoas estavam vindo aqui e diziam que a prefeitura não está contratando. Mas não cabe ao vereador indicar, cabe à prefeitura dar oportunidades às pessoas que se adequam às secretarias. Porque as pessoas, às vezes, vinculam o vereador com a prefeitura e pedem que a gente arrume emprego na prefeitura”, disse Gil, que ainda afirmou que a carta de apresentação não obriga qualquer empresa a contratar.

O parlamentar disse que a carta não é direcionada apenas a uma empresa. É para qualquer empresa que esteja contratando e disse que sua intenção não é fazer politicagem. “Eu quero esclarecer às pessoas que vêm aqui com esperança de que a carta vai dar a ela um emprego. Não é isso. É apenas uma carta de apresentação. Eu não estou fazendo política. Eu só estou atendendo a qualquer pessoa que vier ao gabinete. Faço questão de conversar com as pessoas. Peço aos meus assessores para não deixarem de atender as pessoas e explicarem que a carta não é garantia de emprego e sim uma possibilidade”.

Quanto à CPI para apurar se as empresas estão cumprindo a Lei 3.510, Gil Torres disse que espera poder contar com os 17 vereadores. “Não cabe só a mim, que estou sendo taxado de maluco por estar tentando atender a um monte de gente. Eu acho que se os 17 vereadores devem se unir, já que votaram a favor da lei. Os vereadores em geral têm que mostrar suas caras e fazerem jus aos votos que receberam”, disse o parlamentar.

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.