Aug 23, 2017 Last Updated 4:06 PM, Aug 23, 2017

Ludmila Casciano vai representar Itaguaí na Alerj

Ludmila Casciano, de 17 anos, foi eleita parlamentar juvenil e vai representar Itaguaí na Alerj Ludmila Casciano, de 17 anos, foi eleita parlamentar juvenil e vai representar Itaguaí na Alerj FOTO WELINGTON CAMPOS
Publicado em Cotidiano
Ler 714 vezes
Avalie este item
(2 votos)

A estudante foi eleita para o Parlamento Juvenil e quer mais presença de deputados nas escolas

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

PROJETOS Embora muitos estejam decepcionados com a classe política, uma novíssima geração pode renovar as esperanças daqueles já há muito descrentes. E as esperanças estão em jovens como Ludmila Casciano de Oliveira, de 17 anos. Ela foi uma das parlamentares juvenis mais bem votadas da edição do Parlamento Juvenil 2017 da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Aluna do Ciep 498 Irmã Dulce, no bairro de Chaperó, Ludmila está no primeiro ano do ensino médio e só pensa em fazer com que seus projetos obtenham sucesso na Alerj. Durante a campanha que fez com o apoio da escola onde estuda e percorreu outras unidades de ensino da cidade, ela apresentou um projeto em que propõe a maior presença de deputados nas unidades escolares para que os problemas sejam imediatamente solucionados.

“Eu fiz vários projetos, mas eu fui vendo que não valiam porque eram projetos que já existiam. Eu criei um projeto que dispões a integração dos deputados às áreas escolares. É um projeto no qual o deputado sai da área dele, para ver o que de verdade acontece nas escolas. Eu sempre guardo o conceito de que os deputados ficam muito na área deles, mas não veem a verdade. Eu quero que eles saiam, olhem. Eles só recebem o voto e não fazem nada. Eu quero tirar esse conceito”, explicou Lidmila, que quer transformar as diligências de deputados às escolas em questões obrigatórias.

Apesar de animada com a empreitada na Alerj, Ludmila confessa que não tinha conhecimento sobre o Parlamento Juvenil, até que foi procurada pelo coordenador de cultura da escola. “O coordenador de cultura viu o meu potencial e falou para eu me inscrever. Eu me inscrevi, fiz o meu projeto de lei e comecei a minha campanha para o parlamento juvenil. Comecei a expor minhas ideias e os alunos começaram a gostar e foi surgindo o que está agora.

Para Ludmila é preciso que os legisladores estejam mais próximos das escolas, dos estudantes, já que o trabalho feito pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) não é suficiente. “A maioria das escolas públicas é muito necessitada, não há verba, não há alimentação, a cada ano nada muda e eu quero que eles (os deputados) vejam isso conforme a verdade. Não basta a Seeduc estar vendo, tem que ter um deputado para progredir, para registrar. Eu acredito que para resolver problemas imediatos, tem que ter um deputado”, diz.

A jovem parlamentar que vive com a mãe e mais dois irmãos, diz que é uma pessoa muito divertida, mas gosta muito de ficar em seu canto e estudar. Ela afirma que gosta do convívio com os diretores e coordenadores da escola, pois assim pode aprender muito. Para o futuro, Ludmila diz que não pretende fazer o Enem, porque acha o método de seleção do governo uma perda de tempo, mas diz que pretende fazer uma faculdade, com o objetivo de se tornar uma grande empreendedora.

Enquanto não chega o momento de apresentar seu projeto, Ludmila Casciano segue se preparando, junto com a outra parlamentar juvenil itaguiense, Larissa Westfal, para representar o município no grande parlamento estadual.