Oct 19, 2017 Last Updated 2:00 AM, Oct 18, 2017

Moradores de Chaperó reclamam de descaso em UBS do bairro

FOTOS CLEITON BEZERRA FOTOS CLEITON BEZERRA Moradores realizam manifestação em frente à Unidade Básica de Saúde de Chaperó
Publicado em Cotidiano
Ler 1279 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Segundo moradores, a ambulância não conta com UTI móvel e só apareceu na unidade devido à presença do ATUAL no local ontem

CLEITON BEZERRA

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

SAÚDE DEBILITADA Uma manifestação foi realizada por moradores de Chaperó, na tarde de ontem (2), em frente à Unidade Básica de Saúde do bairro, UBS Chaperó. Os moradores afirmavam não concordar com alterações no funcionamento da unidade de saúde, destacavam o fim do atendimento 24h, a distância do bairro em relação ao centro do município, a linha do trem que poderia atrapalhar deslocamentos de emergência, assim como se queixavam de problemas na unidade de saúde.

Durante a manifestação, a equipe do ATUAL permaneceu no local por volta de 45 minutos e pode constatar três fatos relacionados ao atendimento na UBS Chaperó:

O médico saiu por volta das 16h, porém o horário informado de atendimento do clínico geral seria até às 17h; um homem que chegou às pressas na unidade de saúde, em busca do primeiro atendimento para um corte na mão, teve inicialmente o atendimento recusado, porém observando a presença da equipe do ATUAL no local, chamaram o senhor de volta e o levaram para o interior da unidade. Ele estaria sendo atendido por um médico ginecologista segundo moradores; e, por fim, observamos uma mãe que chegou com o filho a procura de um pediatra, mas não conseguiu o atendimento.

Uma das pessoas que se manifestaram, na tarde de ontem, era a cozinheira Quele Pasquale Dias, mãe de uma criança portadora de deficiência. “Minha filha é deficiente visual, ela tem convulsões frequentes. Já teve casos de ela ter convulsão à noite e ser atendida aqui. Com essas alterações na UBS, a gente corre o risco de ela passar mal e não dar tempo de chegar lá no centro com ela. Sem contar que de dia eles só atendem quem está com horário marcado”, destacou a manifestante.

Segundo os moradores, as alterações começaram a ser aplicadas na unidade de saúde a partir do dia 20 de julho. “Eles tiraram o atendimento 24h e agora só fica aí uma ambulância, que não é UTI móvel, e uma enfermeira à noite. Não tem condição! Se a gente passar mal e o trem estiver passando, o que vamos fazer?”, questionou a cozinheira Quele Pasquale.

Um dos moradores de Chaperó e líder comunitário, Wagner Franklin, afirmou que já havia protocolado vários ofícios na prefeitura sobre a UBS, mas não adiantou. “Nós temos passado por grandes problemas nesse posto. Já aconteceram casos de faltar médico aqui e eu ir à secretaria de saúde. Oito meses atrás morreu o Bruno Oliveira, eu ajudei a trazer ele aqui. Ele teve um problema cardíaco, não tinha desfibrilador, a ambulância não tinha UTI móvel, era uma ambulância comum e ele não resistiu”, relembrou o líder comunitário.

LADO DA PREFEITURA

Em busca do posicionamento oficial da Prefeitura de Itaguaí sobre o acontecimento, a assessoria de comunicação da instituição foi contatada pela equipe do ATUAL, por email.

Alguns dos pontos questionados no contato foram: quais seriam as justificativas para o não funcionamento 24hs da UBS; se a Secretaria de Saúde buscou ouvir as demandas dos moradores sobre as alterações na unidade; quais são os serviços que continuam a ser oferecidos na UBS e quais são os horários; como é composta a atual equipe da unidade e sobre os moradores afirmarem que a ambulância disponibilizada não possui UTI móvel.

E a nota resposta foi a seguinte. “A Secretaria de Saúde de Itaguaí esclarece que a Unidade Básica de Saúde (UBS) Chaperó funciona 24 horas. O modelo adotado para o posto daquela localidade foi definido por uma equipe técnica que levou em conta as necessidades da população da região. Vale ressaltar que a UBS Chaperó conta com ambulância”.

 

Ambulância que fica na UBS Chaperó não conta com UTI móvel dizem moradores