Regularização de camelôs em controvérsia

agosto 7, 2014 Comentários desativados

Prefeitura de Itaguaí anuncia regularização de comércio ambulante, mas camelôs relutam por causa das péssimas condições de trabalho

JULIANA TORRES

Na terça-feira (5), a Prefeitura de Itaguaí enviou um texto oficial para informar que, “por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública, está regularizando o comércio ambulante”. Mas, apesar de parecer uma boa notícia para aqueles que não trabalham neste setor, não houve animação por parte dos comerciantes de rua. Segundo os ambulantes, o recadastramento exige, além dos R$ 15,22 (divulgado pela prefeitura), uma taxa anual de R$ 150. “Se a gente trabalhasse em boas condições, estaria tudo bem. Mas aqui [referindo-se ao camelódromo da praça Vicente Cicarino] a gente divide o espaço com pombos e mendigos”, disse um deles. A equipe de reportagem do ATUAL conversou com alguns ambulantes do centro de Itaguaí e constatou que a maioria está insatisfeita com as condições de trabalho. Por isso não concordam com o recadastramento. Segundo um ambulante, o prefeito Luciano Mota (PSDB), quando ainda candidato, se reuniu na praça com os comerciantes e prometeu melhorias, como as instalações de boxes (): “Depois que se elegeu, veio aqui mais uma vez. Disse que não tinha esquecido, mas até agora nada foi feito”. Além da exposição ao tempo (chuva e sol), os ambulantes reclamaram também da aparência de abandono do camelódromo da praça: “Olha como isso está. As pessoas não param aqui para comprar. Às vezes a gente passa o dia aqui e não vende nada”.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Por estarem expostos ao tempo e por causa da aparência de abandono, alguns ambulantes se recusam a fazer o recadastramento (Foto Juliana Torres)

Por estarem expostos ao tempo e por causa da aparência de abandono, alguns ambulantes se recusam a fazer o recadastramento (Foto Juliana Torres)

Comments are closed.